terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

"Perceber aquilo que se tem de bom no viver é um dom
Daqui não, eu vivo a vida na ilusão
Entre o chão e os ares, vou sonhando em outros ares
Vou fingindo ser o que já sou, fingindo ser o que já sou
Mesmo sem me libertar, eu vou
É, Deus, parece que vai ser nós dois até o final
Eu vou ver o jogo se realizar de um lugar seguro
De que vale ser aqui
De que vale ser aqui onde a vida é de sonhar
Liberdade"

Um comentário:

Camarada Guerguen disse...

Apenas na distância percebemos o mal que fizemos ao outro, mesmo achando que se fazia o bem... A questão que fica é: por quanto tempo o outro levou consigo esse fardo?